[segunda-feira, junho 19, 2006]

E quando o fim de uma história pode ser o princípio de outra


MIAAUU!!!!! Estamos na última semana de mais um preenchido ano lectivo... estes são os últimos trabalhos produzidos por esses gatos Malhados que chegaram aqui ao meu Parque.

Esta é, apesar de tudo, uma história com final feliz. A história de uma descoberta: novas formas de ler, de pensar, de escrever, enfim, de aprender..... espero que tenham gostado. Para o ano há mais!
MMMIIAUUUU.... vou enroscar-me na Goiabeira e dormir uma soneca!


Escrito por Gato Malhado at 11:29 da tarde |

***

O texto perdido

[Quando um aluno, já em férias, se lembra de enviar um texto entretanto esquecido mas agora aperfeiçoado, sabemos que ensinar de uma ou de outra maneira faz sentido e a diferença. Por isso, aqui está a belíssima notícia escrita pela "jornalista" Rita Gazza.]

O Gato voltou.

No dia 13 do mês corrente, as Publicações Dom Quixote voltaram a lançar a tão aclamada obra de Jorge Amado. Isto, a pedido de milhares de leitores de todas as idades, e do filho do próprio autor, João Jorge. Este, a quem foi dedicado o texto, decidiu que os lucros das próximas edições reverteriam a favor de várias instituições de caridade.
Dado que foi dedicado a uma criança de um ano, muitos poderão pensar que só as crianças o poderão apreciar. Mas, como todas as fábulas, esta tem uma lição de vida. Que deverá ser aprendida também pelos adultos. Portanto é nosso dever, como jornal, recomendar este livro a todos os nossos leitores, seja qual for a sua idade.


Escrito por Gato Malhado at 11:15 da tarde |

***

3º Dia de Outono (naquele parque, mais uma vez).

Caro livrinho pequenino onde eu escrevo e desabafo,

passou-se mais um dia de emoções no parque (aquele parque daquela história sobre o gato apaixonado pela andorinha). Estava eu a completar o meu serviço diário, que faço com gosto e dedicação, quando recebo uma carta de Sinhá direccionada ao seu admirador felino. E ora bem, sabendo eu que estava a haver uma enorme confusão com o amor daqueles dois, e todo o parque estava do avesso, tinha de pôr os meus olhos naquela carta.
Sabes bem, meu pequeno livrinho, que não é meu costume violar a correspondência, aliás, nunca foi. Mas desta vez a curiosidade foi maior, e como a curiosidade não mata pombos resolvi abrir a carta e lê-la.
Até o meu pequeno e frágil coração estremeceu ao ler tais palavras. Um amor tão forte terminar desta forma. Não é que aquela maldita ave (falo de Sinhá) é capaz de, no fim de tudo isto, mandar uma carta destas ao pobre do Gato Malhado!? Depois de entregar a carta ao seu justo destino (o Gato), fiquei à espreita atrás de uma árvore de copa densa, para não correr o risco de ser visto. Foi então que vi o gato, já tristonho, a caminhar em direcção à casa da Cobra-Cascavel. Talvez ele tenha esquecido a Andorinha e tenha direccionado o seu coração de Gato para a violenta Cobra-Cascavel. Mas também, aquele não consegue arranjar uma parceira da sua espécie. Depois deste triste e dramático episódio, prossegui já atrasado com o meu serviço e encontrei o Galo Don Juan a comprar milho a um rato do campo, um mercador, e depois o Galináceo a dar uma bicada no focinho do pequeno roedor. Mas como não tenho tempo para mais pormenores sobre o estranho Rato do Campo, fico por aqui com um saudoso adeus.

Pombo (Correio) : Daniel 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 10:30 da tarde |

***

23 de Setembro de 1949

23 de Setembro de 1949
Querido diário,
Hoje foi sem dúvida alguma o pior dia da minha vida.
Acordei, fui ao lago dos cisnes lavar-me, penteei o meu pêlo, pus o perfume de rosas que me foi oferecido pela tia Rosa e comecei a minha caminhada matinal. A certa altura, vejo qualquer coisa cair do ar, era uma carta, uma carta da Sinhá.
Abria-a, e foi aí que tudo se desmoronou, a vida deixou de fazer sentido, só me apetecia adormecer e nunca mais acordar! Na carta ela dizia que não podíamos casar, por eu ser um gato e ela uma andorinha! Eu não estava a acreditar! Como é que isto foi acontecer?!? Nós não podemos escolher quem amamos, era tão bom que assim fosse!
Eu amava-a, eu amo-a, eu nunca vou deixar de a amar! Nunca mais vou amar ninguém, ela era tão doce, tão meiga, tão querida, tão amorosa, ela era tão, tão…. minha!
O que me deixa ainda mais triste é o facto de ela me ter trocado por um simples Rouxinol, que a única pessoa que ele realmente ama é ele próprio! Como é que ela se deixou levar, toda a gente sabe que o Rouxinol não gosta de ninguém, ele só gosta de gozar com os Animais.
Nunca mais vou amar ninguém! Só quero morrer!
O sempre teu, sem coração,

Malhado: Rita M., 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 10:30 da tarde |

***

Querido Diário…

19 de Junho de 2006
Pois… o AMOR é pode ser muito bom, mas também, muito mau, como no meu caso que é muito mau porque apaixonei-me pela pessoa errada (a Andorinha Sinhá).
O maior problema dos problemas é que ainda gosto muito dela. O que faço? Ajuda-me meu Deus!!
Só tenho que a esquecer e andar com a minha vida para a frente, porque parece que ela fez o mesmo.
A minha alma está literalmente a morrer de tristeza...safa!, eu amava-a e ela agora vai-se casar com outro.... Assim uma pessoa não pode ter vontade de viver, eu não sei viver sem ela, eu vivo para ela, eu respiro para ela, oh como foi ela capaz sabendo o quanto eu a amo!
Ajuda.me Deus tira-me deste abismo.
Até à vista…
Gato: João, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 10:27 da tarde |

***

Meu amigo diário

20 de Outubro

Hoje, quando acordei, olhei para debaixo da porta e vi uma carta com detalhes amarelos; eu a abri e comecei a ler. Na carta estava escrito com este modelo e com as seguintes letras:

“Querido gato”

“Hoje foi um dia muito especial para mim, casei-me com um rouxinol e sinto-me muito feliz, espero que aconteça o mesmo contigo. Até qualquer dia”.

Ass: Da tua querida amiga Andorinha sinhá



Acreditas nisso diário? Também não! A minha única paixão foi-se, e agora?
Também te vais embora? Espero que não! Vou preparar-me para mais um dia de desgosto.

Até a próxima meu amigo…
Gato: Jonathan, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 10:20 da tarde |

***

24 de Setembro

Querido diário,
Hoje enviei aquela carta ao Gato. Acho que ficou triste. Eu também. Não o amo, mas também não amo o Rouxinol. Seria mais feliz se vivesse sempre e sem obrigações. Voar por cima do Gato e sentir a sua alegria a crescer. Mas se calhar assim é melhor. As andorinhas são inimigas dos gatos desde a sua existência. Os gatos comem andorinhas ao almoço. Como posso ter eu a certeza que este é diferente de todos os outros da sua espécie? Não posso. Por isso, assim é melhor. Também não me posso assegurar que serei feliz com o Rouxinol. Acho que nunca o vou ser completamente. Voar com o Rouxinol não será tão divertido quando se transformar em rotina, como foi vaguear pelo parque com o Gato. Sinto que o desiludi. Mas como posso eu recusar casar com o Rouxinol? De maneira nenhuma.
Parece que o casamento vai ser estrondoso. A mim é-me indiferente. Não vou ser feliz de qualquer maneira. Mas vai haver todo o tipo de flores bonitas e enfeites excêntricos. Eu queria uma festa simples, mas os meus pais dizem que será mais vistoso assim e que ficará na história do parque. Porque quero eu que o meu casamento fique na história? Que estupidez. Não preciso de me casar, nem de dar nas vistas. Não preciso do Rouxinol. Só quero ser livre.
Andorinha : Rita G.


Escrito por Gato Malhado at 9:59 da tarde |

***

DIÁRIO


3 de Outubro de 2006
Querido diário
Hoje é o pior dia da minha vida!
Recebi a péssima notícia de que o rouxinol vai casar com a andorinha.
Nem sei como é que ela foi capaz de tal barbaridade, dizendo ela que gostava tanto de mim, e sabendo ela que eu a amava, se ela realmente gostasse mesmo de mim não me fazia isto.
Estou de rastos não consigo parar de chorar e não paro de pensar nela. =’(
Se ela realmente casar com ele eu vou-me matar, Oh não aguento viver sem ela.
Gato: Luís, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 9:46 da tarde |

***

25 de Setembro

Hoje aqui estou ligeiramente mais tarde, mas infelizmente é por uma causa terrível!!!
Recebi a pior notícia de sempre…A Andorinha vai casar-se com o Rouxinol! Mas porque é que aconteceu isto?
O pior de tudo é que eu tenho a certeza de que ela ainda me ama. Mas também sinto-me culpado porque afinal se eu sei que ela ainda gosta de mim poderia ter feito alguma coisa, mas não… deixei-me estar paradinho a olhar, para ver aqueles dois a “ juntarem os trapinhos”…. É terrível vermos a pessoa que sempre amámos a casar-se com outro indivíduo. Não recomendo isto nem à pior pessoa do Mundo….!!!!
Mas agora nada a fazer, só me resta procurar alguém que me ame…. E que de preferência que juntemos igualmente os trapinhos!
Por hoje já está tudo, amanhã cá nos encontramos….não se esqueçam de mim!!!!
ADORO-TE ANDORINHA!
Gato: Catarina, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 9:26 da tarde |

***

Meu querido eu

24/10/2006
A Andorinha Sinhá enviou-me uma carta a dizer que se ia casar com o rouxinol.
Ai meu querido eu, se soubesses como me sinto.... mas será que eles se vão mesmo casar, será que ela será mesmo feliz com o rouxinol?
A carta veio do céu como se se tratasse de uma gota de chuva, chuva não manda cartas "né"?!
Mas um gato não pode casar com uma andorinha, é proibido.... mas por outro lado, este amor não iria muito longe porque a família dela não deixaria, teríamos que fugir.
Bem, meu querido, eu não tenho mais nada para te dizer a não ser “Que estou vivendo o maior desgosto da minha vida”
Adeus!
Gato: Tiago Lopes


Escrito por Gato Malhado at 9:24 da tarde |

***

Diário....

23 de Outubro
Não sei como me sinto, tenho uma angustia que me aperta o coração, estou triste pois tive de abdicar do meu grande amor por sermos muito diferentes e terei de me casar com o Sr. Rouxinol para que não se destrua a tradição de que as andorinhas têm de se casar com alguém da mesma espécie. Não posso acabar com esta tradição porque os meus pais ficariam desiludidos.
Eu gostaria era de me casar com o meu adorado Gato Malhado! A esta hora já deve ter recebido a minha carta e deve estar absolutamente desiludido comigo, pois naquela carta ele já deve ter lido que não nos poderemos ver mais e que me vou casar com o Sr. Rouxinol, mas que adorei todo o tempo que passei com ele. Só espero que ele me entenda e que algum dia me perdoe.
Gato: Maria João, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 9:18 da tarde |

***

Querido diário,

23 de Outubro
Hoje é o dia mais infeliz da minha vida! A minha amada Andorinha vai casar com o Rouxinol.
Apesar de ela ser uma Andorinha é aquela que eu amo e não queria perder. Eu sei que ela também gosta de mim, gosta mais de mim do que do Rouxinol, mas nós não podemos ficar juntos e unidos para sempre pois eu sou um gato e ela uma andorinha.
Estou mesmo muito triste por não poder estar com ela, poder falar com ela.
A minha amada mandou-me uma carta para me contar tudo e o Rouxinol pediu-a em casamento e como eu e ela não podemos ficar juntos ela decidiu seguir com a vida dela, como eu tenho de fazer com a minha, infelizmente sem ela.
Pelo que percebi, na carta, ela também está muito triste mesmo e acha melhor nós não nos vermos para não sofrermos mais.
Espero que ela seja muito feliz com o seu marido Rouxinol!
Eu vou tentar também ser feliz como ela, mas nunca a vou esquecer. Mesmo!
Adeus meu diário.
Gato: Magda, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 9:15 da tarde |

***

21 de Setembro

Adorado diário,
Fiquei triste por saber que a minha amada Sinhá ,vai casar-se com um paspalho qualquer chamado Rouxinol!!!
Passámos por grandes emoções, das quais se destacam o partilhar do nosso amor!
Eu pensava que ela gostava de mim mas, afinal, não passa de uma simples mulher que gosta de fazer sofrer gatos como eu!
Mas este diário serve para partilhar não só coisas más, mas também coisas boas!
Ai a Sinhá, a Sinhá, a Sinhá era a única pessoa que me compreendia e que me fazia feliz de dia para dia.
Guardar-te-ei para sempre no meu coração!!! Sinhá para sempre!!!
Gato Malhado


Escrito por Gato Malhado at 9:13 da tarde |

***

Querido Diário

19 de Junho de 2006
Estou muito triste.... estou completamente arruinado e sabem porquê? Porque me apaixonei e agora fiquei assim triste como tudo porque a minha amada vai casar-se com outro.
Estou para aqui a chorar sem saber o que fazer sem vontade de viver…sim os Gatos choram e têm sentimentos ao contrário do que muita gente pensa, dizem que somos maus e que só nos queremos aproveitar dos mais frágeis mas é mentira…mas porque é que eu tive de nascer Gato ou porque é que eu tive de me apaixonar por uma criatura linda, sensível e simplesmente única?!
Ela vai-se casar com o Rouxinol. Sim com aquele pássaro com a mania que manda…
Espero que isto melhore…que um dia a vida me corra bem….

Hasta* Gato : Rute, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 8:53 da tarde |

***

Meu amigo diário

30 de Outubro

Hoje foi é o pior dia da minha vida pois a minha amada Andorinha vai casar com o rouxinol. Eu sei que ela gosta de mim por isso não percebo o que ela vai fazer.
Eu acho que, quando duas pessoas se amam, devem fazer tudo para ficar juntas e se ela não o faz é porque afinal não gosta verdadeiramente de mim; se ela me amasse como eu a amo não desistiria de mim tão facilmente como o fez.
Mas apesar de tudo continua a sentir uma mágoa imensa por ela se ir casar com outro, ela não merece o meu amor!

Gato: Frederico (8ºC)


Escrito por Gato Malhado at 8:48 da tarde |

***

Meu amigo diário

25 de Setembro

Hoje recebi uma carta da andorinha a dizer que ia casar com um rouxinol e que já não podiamos estar juntos.
Estou muito triste porque estou muito apaixonado por ela, ainda me lembro quando nos conhecemos na Primavera... nós os dois a correr pelo campo fora, ela poisada na ameixeira.... bons tempos..... mas agora vou tentar esquecer o passado.
Estou a pensar escrever-lhe uma carta para lhe desejar felicidades e dizer-lhe que eu vou esquecer o que eles passaram juntos.

Gato: Telmo, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 8:29 da tarde |

***

[domingo, junho 18, 2006]

Webquest....alguns resultados da leitura assim realizada.

Os resultados da Webquest realizada pelos alunos e e todos os trabalhos de escrita e oralidade em torno da obra foi o que permitiu dar forma a este Blog.
TODOS OS ALUNOS ESTÃO DE PARABÉNS PELO EMPENHO MANIFESTADO. AS TAREFAS FORAM CUMPRIDAS - OU SEJA- A OBRA FOI LIDA.
Acredito que muitos se lembrarão desta leitura pela forma empenhada como a realizaram.
Como professora só tenho que agradecer-lhes a alegria, o empenho
, a qualidade, a motivação. Tal como a Manhã, merecem a Rosa Azul. Apresentam-se, em seguida, alguns excertos das webquests que, entretanto, foram aperfeiçodas e enviadas por email.

Este livro foi escrito por Jorge Amado foi escrito em Paris no ano de 1948, com o objectivo de o oferecer ao seu filho João Jorge como presente de aniversário. Esta história de amor foi publicada em 1976, por João Jorge. Este foi encontrado cerca de 28 anos depois pelo mesmo, quando este arrumava velho pertences. Esta obra veio a ser publicada porque João Jorge que a deu a ler ao Mestre Baiano Carybé e este, por gosto e amizade, que sobre as páginas escritas desenhou as mais belas ilustrações. Este texto foi publicado como o autor o escreveu pois se o texto fosse alterado teria de ser reestruturado por completo fazendo-o perder a sua única qualidade, a de ter sido escrito por simples prazer de escrever. A este texto foi apenas acrescentado uma pequena dedicatória.

Olá, eu sou a Manhã. Cheguei tarde a esta entrevista porque sou muito preguiçosa e gosto de dormir até tarde. Também gosto de ouvir umas boas histórias, as minhas preferidas sou as do vento, portanto se tiveres uma boa historia podas contar-ma, ok? Olha que eu até sou gira, loira e gosto de estar na moda, tenho é de perder uns quilinhos. Olha tenho que ir apagar as estrelas se não o meu pai mata-me, portanto xau. Escreve-me para o meu e-mail que é: manha_4ever@univer.mi.

O Vento é uma pessoa amiga pois ajuda sempre a Manhã a iluminar o sol. O Vento é conhecido por ser um Soprador de Fama. Á muitos boatos sobre o vento, uns dizem que ele é velhaco, atrevido, capadócio e de pouca confiança. O Vento têm muitas brincadeiras incorrectas e irresponsáveis como meter-se por baixo das saias das mulheres. O Vento é muito bisbilhoteiro e audacioso, rei dos andarilhos, rompendo fronteiras, invadindo espaços, vasculhando esconderijos, e tendo um saco cheio de histórias para contar. E é o mais conhecido contador de histórias.
(Francisco e Zé, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 1:17 da tarde |

***

O Vento apresenta-se

Não é um vento que passa... é o vento que fica. As tarefas da webquest foram aperfeiçoadas e continuamos a apresentação de alguns excertos:

Apresentação da personagem VENTO:

Gosto de apagar as lanternas, lamparinas, candeeiros, fifós para assombrar a noite e despir as árvores dos belos vestidos de folhagens.
Não gosto de…
Inês / Andreia B. 8ºD
Gosto de levantar as saias as mulheres e ajudar a Manhã nas suas tarefas diárias. Como também adoro fazer cócegas às árvores e despi-las (Sou um grande malandro!). Não gosto do que todos me chamam (velhaco!?), eu até nem sou muito velho!?
Pelo menos é o que eu percebo. Toda a gente fala de mim, sou muito famoso!
Catarina & Vânia - 8ºD

Apresentação da Personagem Manhã

Sou divertida e jovem, gosto muito de piadas e de histórias, de todos os géneros. No entanto sou um pouco descuidada e por vezes arranjo confusões. Gosto muito do meu trabalho pois tenho umas actividades muito divertidas embora para isso tenha que acordar cedo.
Sou também uma sonhadora. Um dos meus sonhos é poder acordar ás onze horas, o que não posso fazer devido ás minhas funções. Tenho muitos amigos, mas penso que há alguns relógios que não gostam muito de mim.
Hugo & Gonçalo Ferreira - 8ºD


Gosto de assustar a noite, aliás adoro! Sabem, é que ela tem medo do escuro, então eu vou e apago as lanternas, as lamparinas, os candeeiros, tudo o que lhe dê luz. Também gosto imenso de passar a noite no bosque porque quando lá passo as árvores rebolam-se todas felizes pela minha breve passagem. Há quem diga que são desavergonhadas mas eu acho que são pessoas sensatas, ou seja, sabem apreciar aquilo que é bom, ou seja eu.
E quando vejo uma mulher de saia passo com bastante força, é mesmo giro!
Tenho de confessar que gosto da manhã, ela é tão gira, tão frágil. Quando ela vai aquecer o Sol ela necessita de ajuda pois isso é uma tarefa para gente forte como eu claro…
Sou alegre, ágil, dançarino bastante famoso, amigo do seu amigo e sempre disposto a ajudar os demais, sobretudo quando se trata de senhoras mas tudo por uma questão de cavalheirismo claro, que mais podia ser?
Não gosto quando não consigo assustar a noite com as minhas partidas porque assim ela não fica com medo e isso é mau; não gosto quando as pessoas dizem que as árvores são desavergonhadas só porque apreciam o que é bom da Natureza, é claro que me refiro a mim, a que mais seria? Não gosto, aliás, odeio quando as mulheres andam de calças pois assim não posso fazer com que se vejam as suas pernas. Porque é que as mulheres não andam sempre de saias? Devia haver uma lei contra as calças para as mulheres.
Rute e Catarina, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 9:41 da manhã |

***

[sábado, junho 17, 2006]

mais correio.....

Parque da Fantasia, 10 de Outubro, antes do Mundo

De: Gato
Para: Andorinha

Venho escrever-te por este meio, meu amor, para não dar muito nas vistas, dado que recuperei a minha má fama.
Não acredito no que tu me escreveste depois de tudo o que nós passámos: os passeios e as longas conversas. Eu queria esquecer-me... eu cá não acredito... eu sei que tu ainda me amas e vou fazer todos os possíveis e impossíveis para ficar contigo. Tu foste a única pessoa que me abriu realmente os olhos. Antes nem eu acreditava que era capaz de gostar de alguém realmente, sem ser por interesse mas, agora, sei que também eu sou capaz de amar.
Por tudo isto e muito mais, acredito que não posso deixar de te ver; por isso, se tu ainda me amas realmente, vem ter comigo, sábado, ás 15 horas debaixo da Ameixeira.
Até lá, beijinhos do Gato que te ama.

Ass. Malhado (Zé, 8ºD)

P.S. Por favor, aparece.


Escrito por Gato Malhado at 4:51 da tarde |

***

Charneca de Caparica, 24 de Setembro de 2001

Minha querida Andorinha Sinhá...
Eu já tive a possibilidade de ler a tua carta e espero que tu leias a minha como forma de resposta à tua carta.
Eu, sinceramente, não percebo porque é que os gatos e as andorinhas não se podem encontrar... será que tu és racista?
Eu prefiro ser teu amigo do que ser amigo de outros gatos.
A tua companhia é bastante agradável. Tu és linda mas feia! Espero que entendas o que sinto por ti. Espero-te no meu casamento com a minha querida Gata Sofia, ela é bestialmente linda!, mais do que a maioria dos animais que conheço. Ela é muito bonita.
Ah! Esqueci-me.... em relação a ti, adeus! Espero-te no meu casamento.

Gato Malhado (João Rudall, 8ºD).


Escrito por Gato Malhado at 4:50 da tarde |

***

24 de Setembro de 1986

Olá querida andorinha, já recebi a tua carta e fiquei muito feliz. Deves estar super contente por casares com o rouxinol. Tenho a certeza que ele é o pássaro ideal para ti, elegante, bem parecido, charmoso e muito bem-educado.
Não há dúvida que deves ser a andorinha mais feliz do parque, podes ter a certeza que eu vou ao casamento para te ver com o teu lindo vestido branco e segurar na pena do rouxinol quando lhe puseres o anel.

P.S. Espero que sejas muito feliz!

Ass. Gato Malhado (Nico Almeida, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:48 da tarde |

***

Terceiro dia de Outono

Querida Andorinha,
Já soube que tu vais casar-te com o rouxinol. Espero que sejas feliz com o teu noivo. Eu nunca esquecerei o teu olhar alegre, o teu belo sorriso, as nossas conversas e todos os outros momentos que passámos juntos. Espero que tu não te tenhas esquecido. Se eu fosse o criador da Terra, deixava que os animais se amassem livremente e assim poderíamos casar-nos. Nunca te esquecerei pois estarás sempre no meu coração. Do teu amado,
Gato Malhado. (Catarina, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:47 da tarde |

***

Charneca de Caparica, 24 de Setembro de 1893

Gato feio,
Enquanto eu me vou casar com o Rouxinol, tu vais morrer encostado a um banco, pálido, magro, todo podre e malcheiroso!
Pensas que eu não sabia?... Querias sair comigo para, quando eu menos esperasse, já me tinhas dentro do estômago. Espertalhão! Vais morrer!
Ele pode dar-me muito mais coisas do que tu; por exemplo: somos os dois pássaros, podemos ter filhos, pode cantar para mim com a sua bela voz, podemos dar beijinhos.
Agora, se fosse contigo, com esses bigodes e com essa boca, quando te fosse beijar metia a cabeça quase toda lá dentro.
Adeus... mau!
Andorinha (João Pires, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:47 da tarde |

***

9 de Agosto de 1950

Querido Amor,
Não sei como começar porque sei que te vou fazer sofrer, ao dizer-te que me vou casar com o rouxinol. Sei que é difícil de aceitares mas, para mim, também é. Acho que não é só por cada um ser diferente que não devemos gostar um do outro e até mesmo casar mas.... acho que é melhor nem comentar porque há pessoas que não o aceitam.
Há pessoas que dizem que não devemos, nem sequer encontrarmo-nos, mas eu não consigo. Nunca o vou consefuir! Jamais! Vou casar-me mas contrariada. Mas não irei fazer o mesmo que tu estás a afazer, a ignorar-me, pois eu gosto de ti e não vou deixar de o fazer só porque terceiros dizem.
Sei que vais encontrar uma pessoa que te ame de verdade, mais do que eu!
Beijinhos....
Sinhá (Andreia Bernardo, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:46 da tarde |

***

Parque da Paz, 24 de Setembro da Era 314

Querida Andorinha,

Gostava de saber porque é que já não nos vemos. Já não gostas de mim? Eu ainda gosto muito de ti....
Gostava que, pelo menos, me escrevesses cartas a explicar como vai a tua vida. Tenho tido saudades tuas, daqueles dias em que vagueávamos, de visitar os sítios que encontrámos durante a Primavera e também do teu enorme sorriso.
Beijos do teu querido,
Gato Malhado (Gonçalo Ferreira, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:45 da tarde |

***

Ameixeira, 18 de Outubro

Olá minha querida Andorinha,
Eu sinto muito o facto de nós não podermos namoriscar de novo pois eu amava-te!
Adorei passar a tarde contigo, passar as noites em branco, ansioso por te ver de novo...
Perdoa-me por fazer-te sofrer mas... não irei conseguir viver sem ti... perdoa-me!
Eu amava-te acima de tudo.... amo-te! Adorei estar contigo todos os dias, todos os minutos, todas as horas e todos os segundos.... desfolhar contigo cada flor, pétala a pétala... Espero que sejas muito feliz, já que eu não o serei...desculpa. Amo-te!

Gato Malhado (Solange Lopes, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:45 da tarde |

***

24 de Setembro de 2002

Querida amada,
Tenho muito orgulho em saber o quanto gostas de mim e o quanto querias ficar comigo. Eu acho o mesmo mas...
Na verdade, o que eu quero dizer, custa-me um bocadinho..., então cá vai, eu gostaria muito de namorar contigo, eu amo-te! Mas.... bom.... o que eu quero dizer é que, apesar disso, nós não podemos ficar juntos. Existem muitos animais que nos discriminam. É verdade! Eu admito, sinceramente, que estou farto daquele rouxinol, ele lá vai beber as suas cervejolas e tu que fiques aí a arrumar a casa!! Não te queria magoar, minha querida mas...., sinceramente, assim será melhor para os dois.
Desculpa por todo o sofrimento que te estou a causar, com estas palavras bruscas e espero que um dia possas vir a compreender.
Do teu amor... beijos... fofos....
Gato Malhado (Marta Ferreira, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:44 da tarde |

***

13/06/2006

Andorinha.... não posso namorar contigo por causa dos meus pais. Eles não aceitam. Tenho muita pena. Gostarei sempre de ti.
Um beijo do teu
Gato (Mónica, 8ºC).


Escrito por Gato Malhado at 4:43 da tarde |

***

13/06/2006

Meu querido amigo,
Olha.... nós não podemos namorar porque os teus pais não gostam que tu namores comigo e, além disso, quando, vamos dar um passeio pelo Parque, todos ficam a olhar-nos. Sim... porque eu sou linda e tu és.... feio. Eu sei que é muito difícil mas... eles não deixam e eu tenho muita pensa porque não posso fazer mesmo nada.
Nunca me vou esquecer de ti!
Um beijo da
Andorinha (Rosana, 8ºC)


Escrito por Gato Malhado at 4:38 da tarde |

***

Parque Mundial dos Amores Perdidos, 9/10/2006

Meu amorzinho,

Não sei como te dizer o que sinto. Este rouxinol está tão feliz que eu não sei o que fazer, até mete raiva!
Só esta carta me anima. Não consigo aturar mais este chato rouxinol que está tão feliz!
Quando é que nos voltamos a encontrar? Para ver se me animo....
Mas que pesadelo... cá está o Rouxinol a ver o que estou a escrever, que chato, não me deixa nem por um segundo.
Bem... não tenho mais nada que escrever. Espero voltar-te a ver, meu querido gato. Voltarei a escrever.
Beijinhos desta Andorinha que te adora!
Sinhá (Vânia, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:33 da tarde |

***

Parque Nosso, 3º dia de Outono

Querido Feio,

Estou a escrever-te pois tenho uma coisa triste para contar-te. Enviei-te esta carta pois acho que não consigo dizer-te isto pessoalmente.
Custa-me escrever mas temo que não nos possamos voltar a encontrar nem sequer falar. Tu sabes que eu te amo muito mas Andorinhas não podem casar com Gatos. É a lei da vida.
Tenho muita pena mas, apesar de te adorar muito, não podia partir o coração dos meus paizinhos.
Desculpa muito.
Da tua sempre,
Sinhá! (Francisco Lourenço, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:30 da tarde |

***

Parque, 3º dia de Outono

Querido Gato Malhado

Tenho que te informar que, apesar de todos os bons momentos passados entre nós, esta relação terá que acabar.
Digo isto pois a nossa relação apenas nos trará problemas e não é isso que queremos. Continuo a gostar muito de ti e insisto que os nossos encontros eram algo de fantástico. Ouvir a tua voz é adorável mas, mesmo assim, tudo isto não deveria ter acontecido. Como será que caímos no erro de meramente pensar que um gato poderia casar com uma andorinha?!
Quero assim dizer que o nosso casamento não irá ser realizado mas que, contudo, te acho um animal simpático, amável e, acima de tudo, um grande amigo.

P.S. Espero que compreendas a minha atitude e que continues com a boa disposição que sempre tiveste a meu lado.

Ass. Andorinha Sinhá (Hugo, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 1:59 da tarde |

***

Carybé, o ilustrador da obra que lemos


Por curiosidade... aqui ficam algumas fotos da autoria de Zélia Gattai (esposa de J. Amado) onde podemos ver o escritor e o ilustrador de O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá - Carybé. (Estas e outras fotos podem ser vistas no site da Fundação casa de Jorge Amado - link à direita).


Escrito por Gato Malhado at 1:28 da tarde |

***

Lembrar como tudo começou

O início de uma história é algo muito importante.
A história desse blog começou com uma leitura expressiva e a descoberta de uma grande figura da literatura mundial.
Começou com este filme preparado pela prof.
Começou com uma pesquisa orientada a partir deste lugar.
Continuou com essas tarefas e foi continuando e crescendo neste blog.

A história do gato malhado, essa... começou.... bem... parece que existiu sempre.... desde o tempo em que os animais falavam (um tempão, diria a minha amiga Marli!) mas, para os alunos, para os leitores, começou como uma história entre muitas que uma manhã preguiçosa ouviu de um Tempo velhinho.
Deixo aqui o contexto (clique na imagem para ler melhor).

Prof. Teresa


Escrito por Gato Malhado at 12:23 da tarde |

***

Correio!! Chegou o correio!


Essas são algumas das cartas que os meus amigos do 8ºC e 8ºD nos ajudaram a escrever. A nossa história de amor foi linda mas... não deu certo... quem sabe...um dia?

23/09/1968

Andorinha,

Venho, por este meio, informar-te que também já não quero saber de ti e que já não estou interessado num andorinha convencida como tu. E mais... acho que tens toda a razão: os gatos e as andorinhas não podem ser amigos porque nós somos conhecidos por comer andorinhas ao pequeno-almoço.
Espero que não me dirijas mais a palavra e que nem olhes para mim, como eu o farei. Espero ter respondido à tua provocadora carta e que tu e o rouxinol sejam muito felizes.
Não te incomodes mais.

Ass. Gato Malhado (Fábio, 8ºD)
*****
Terceiro dia do Outono de 1949

Caro amigo gato,

Venho, por este meio, informar-te que me vou casar. Como já deves saber porque não se fala de outra coisa.
Não estou muito feliz porque pensei que a minha vida ia levar outro rumo, outro caminho,...
Tenho andado triste e cansada porque o meu rouxinol não faz nada em casa; apenas se limita a beber, comer, e ver T.V. Não aguento muito mais tempo isso, parece tortura mas, como o meu amor por ele é grande e puro, não posso fazer nada.
Tenho pena de não poder ter casado contigo mas, como já te disse muitas vezes, os gatos e as Andorinhas não podem casar, pois são inimigos irreconciliáveis. Sei que o nosso caso não é esse mas... como sabes, nunca ninguém aceitaria isso, jamais!
Bem, não tenho muito mais para te dizer, apenas que nunca percas a esperança de encontrar alguém que te mereça.
Muitos beijinhos da tua sempre Sinhá (Inês Lopes, 8ºD).

*****
Parque Verde, 3º dia de Outono

Querido Gato,

Eu sei que as coisas entre nós têm estado melhor mas não podem continuar. Eu estou de casamento marcado com o rouxinol e ele não ia gostar nada de saber que eu ainda me encontraria contigo. Tenho imensa pena mas as coisas não poderão continuar. Tenho em casa sete aranhas a prepararem-me o enxoval e é muito contrariada que tenho de te dizer isto mas os nossos passeios no parque vão ter de acabar. As nossas tardes divertidas também.
Agora, se alguma vez passarmos um pelo outro fica já sabendo que não poderei falar contigo; vai ser como se nunca nos tivéssemos conhecido.
Nada mais tenho a dizer-te!
Andorinha Sinhá!

P.S. Desculpa-me mas vais mesmo ter que ser assim. Nunca te esqueças de mim pois eu também nunca me esquecerei de ti. Beijinhos da tua amiga. (Sara V., 8ºD)

*****


Escrito por Gato Malhado at 10:44 da manhã |

***

[domingo, junho 11, 2006]

Esses gatos!!!!

Esses "gatos malhados", do 8ºC ou do 8ºD, andam a escrever muito. E ainda bem! Eu sempre lhes disse.... miau... que quanto mais lessem, melhor leriam.... quanto mais escrevessem, melhor escreveriam.... e dessas duas coisas também se aprende a gostar... seja em que idade for!

Bom... reviram a técnica da notícia, depois aprenderam a do diário.... lá pelo meio.... preocupado com a minha andorinha.... perguntei-lhes se ainda se lembravam como se escrevia uma carta. É que no meio destas tecnologias.... é bom não esquecermos coisas essenciais.... pedi ajuda então!

Gatinhas ou gatões... toda a gente está a escrever... e, pelos vistos, estão a gostar de se tornarem personagens/autores deste livro.

Este trabalho é da Martinha! Gostei muito! Miau!

7/6/1976

Querido amor,

Queria-te dizer que está-me a custar muito estar longe de ti e que não consigo viver sem ti. Por isso, depois de ter passado tantas mágoas e torturas com aquele estúpido rouxinol, tomei uma decisão que acho que é a mais acertada. Eu acho que uma Andorinha e um Gato tem todo o direito de estar juntos, independentemente daquilo que os outros digam a respeito disso, por isso, espero que concordes comigo, e que um dia me possas desculpar por todo o sofrimento que te causei.
Beijinhos da tua amada Andorinha.

(Marta, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 5:35 da tarde |

***

Um tom muito pessoal... mais uma página deste bonito diário!

11 de Setembro de 2000
Meu confidente.

Hoje, na aula de Português, fizemos uma actividade que me interessou. Eu já estava aborrecida e com dificuldade em concentrar-me nas aulas, mas agora, como trabalhamos nos computadores, isso motiva-me. Fizemos tarefas online no fórum da prof. Teresa sobre a obra de Jorge Amado, “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”. No fim da aula, a prof. veio ter comigo e disse-me que podia fazer o teste amanhã.
Quando cheguei a casa e liguei a TV, deparei-me com notícias horríveis sobre uns atentados que aconteceram nos EUA. Congelei. Como é que há gente tão asquerosa mentalmente, ao ponto de fazer aquele tipo de coisas, só para magoar os outros? É horrível pensar que é este o mundo em que vivemos.
Tua, Rita.
Rita Grenho, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 12:52 da tarde |

***

UMA LINDA E IMPOSSÍVEL HISTORIA DE AMOR

No dia 24 de Junho, em Braga, foi publicada uma das mais belas e impossíveis histórias de amor escrita por um grande autor: Jorge Amado. Nessa publicação, viu-se o mais emocionante de sempre. Tudo porque não se esperava tanta gente. Jorge Amado nasceu no Brasil e foi lá que viveu muitos anos. Foi político, escritor, realizador entre outras coisas. Também chegou a ser homenageado com uma instituição em seu nome ("Fundação Casa de Jorge Amado").
Mas, voltando ao tema inicial da notícia, o livro publicado chama-se "O GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ" e foi um dos grandes êxitos de Jorge Amado como escritor. Trata-se de uma pequena fábula onde se fala da história romântica do "GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ". Tudo acontece numa bela manhã de Primavera onde se conhecem por acaso, pois um grupo de andorinhas poisa num ramo. Ao avistarem o Gato Malhado, assustam-se e fogem todas menos...a Sinhá. Então, o Malhado pergunta-lhe porque não fugiu e, a partir daí, tornam-se muito amigos até ao dia em que a Sinhá lhe destroça o coração.
Se estiverem interessados é só comprar este livro e lê-lo com muito entusiasmo.
Maria João 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 10:11 da manhã |

***

[sábado, junho 10, 2006]

Árvore, 9 Outubro 2006

Meu querido Gatinho,

Estou tão triste por não poder casar contigo.
Este Rouxinol é tão chato, não há pior!!!
Os meus dias têm sido tão chatos, o Rouxinol tem ido sempre trabalhar, tenho estado
sempre em casa a limpar.
Contigo era sempre tudo diferente, íamos passear pelo Parque, fazíamos muitas coisas...
Eu sei que estás triste por eu não estar aí contigo.
Sempre podes arranjar uma gatinha para te fazer companhia...
Bem, o Rouxinol já chegou vou indo.
Até á próxima!
Eu depois volto a escrever!
Beijinhos,
Andorinha Sinhá

Vânia Viana, 8°D


Escrito por Gato Malhado at 6:19 da tarde |

***

Dia 23 de Maio de 2006

Querido diário,

Hoje foi um dia muito cansativo. As aulas foram um bocado chatas. Não estava muito confortável pois já sabia que estava a ficar doente. A aula mais "secante" foi a aula de Geografia pois tivemos teste. A aula de português até foi "bacana" mas, como eu não parava de falar a professora chamou-me umas quantas vezes à atenção. Quando cheguei a casa, fui logo ver TV mas depois fui para a cama e adormeci logo.
Bem, é tudo por hoje!!

Muito beijinhos...
Inês Maria P. Lopes


Escrito por Gato Malhado at 5:43 da tarde |

***

Uma leitura engraçada

Miaaauuuu.... os meus amigos do8ºD reflectiram e avaliaram hoje a sua leitura expressiva. Há ainda umas coisas a melhorar mas... este foi o resultado do exercício. (O desafio era escolher um pequeno excerto e lê-lo expressivamente).
No caso do Francisco e do Zé do 8º D.... esperamos que os amigos do Brasil não se importem com a brincadeira. Um abraço a todos!


powered by ODEO


Escrito por Gato Malhado at 12:47 da manhã |

***

Uma leitura... Inês e Andreia F., 8ºD


powered by ODEO


Escrito por Gato Malhado at 12:46 da manhã |

***

A prof. Teresa Pereira também quis dizer algo:


powered by ODEO


Escrito por Gato Malhado at 12:43 da manhã |

***

O Francisco do 8ºD comentou, dizendo que....


powered by ODEO


Escrito por Gato Malhado at 12:36 da manhã |

***

[sexta-feira, junho 09, 2006]

7 de Junho de 2006

Querido diário,

Hoje, ao entrar na escola, encontrei a professora de Português e perguntei-lhe se os testes estavam bons. A professora fez uma cara, como quem não tivesse ficado muito satisfeita com as notas.
Quando cheguei à aula, a professora não vinha muito bem disposta e os alunos já sabiam porquê. A professora pousou as coisas e disse:
- Bom, como já devem saber as notas não foram muito favoráveis, por isso, vão começar a corrigir as vossas fichas, como se as estivessem a fazer de novo.
Os meus colegas e eu gostámos da ideia pois as nossas notas não estavam lá muito boas.
Ao fim de 45min. todos tinham acabado a correcção.
Ao falar com os meus colegas, a correcção da ficha tinha-lhes corrido muito melhor e, falando a verdade, a mim também.
Bom, amanhã volto com informações fresquinhas para ti.
Adeus!
Andreia Bernardo
Andreia B., 8ºD


Escrito por Gato Malhado at 6:25 da tarde |

***

[quinta-feira, junho 08, 2006]

23. Maio. 2006

Na Sala 6...

Querido diário,
Hoje tive um dia espantoso. Tive uma aula fora do normal, tive Português que é uma disciplina muito "fixe", mas na sala 6! Não tem comparação, a turma fica "super" interessada e porquê? Porque é a sala onde só se trabalha com computadores, onde também se trabalha a pares, o que é "fixe".
Depois, estivemos a terminar umas tarefas sobre a obra que estamos a ler que é "O GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ". É uma história engraçada e romântica ao mesmo tempo.
No fim, acabamos por fazer a pergunta da semana. É "super" engraçado! Para mim estas aulas podiam ser assim até ao fim do ano.
ADEUS!

M. João

Maria João, 8ºC


Escrito por Gato Malhado at 6:37 da tarde |

***

Meu querido diário,

26 de Maio 2006
Hoje estive na sala de Português, melhor, na sala 6, a fazer uma avaliação no computador sobre a obra do escritor Jorge Amado “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”.
De seguida, fui para o intervalo e estive a falar com alguns colegas e até fizemos uma partidinha de futebol.
As 18h30, à hora de saída entrei no carro e fiz uma pequena viagem até casa. Jantei e fui para a cama.
Voltarei amanhã com novas aventuras.
João Paulo Faria Pires, 8ºD


Escrito por Gato Malhado at 9:22 da manhã |

***

[quarta-feira, junho 07, 2006]

O meu diário

Hoje, Franklin foi um dia daqueles em que acordei bem. Vi Tv e, logo
de seguida, comi uns chocapics que me souberam deliciosamente.
Á tarde cheguei à escola e logo me deparei com uma ambulância,mas não liguei e fui-me embora.
A aula de música foi completamente secante e desinteressante. Eu
pensava que a aula de Geo ia ser mais do mesmo, mas não... foi teste....
Depois de um pequeno jogo de bola, fui para Português. Para minha felicidade, fomos para a sala 6 trabalhar num livro. Foi muito "fixe" trabalhar nos computadores.
Depois, fui para o futebol e ... desculpa tenho que ir jantar.
Até manhã,
Stein

Francisco L. 8ºD


Escrito por Gato Malhado at 10:46 da tarde |

***

Novidades fresquinhas!!!

Miau... os meus amigos do 8ºC que estão a ajudar-me neste meu diário felino, fizeram um FILME! Deixo aqui um excerto desse magnífico trabalho dinamizado pelo professor MF com a ajuda de SM e do Clube de Vídeo.



Se não for possível a visualização, clique AQUI!


Escrito por Gato Malhado at 1:55 da tarde |

***

[terça-feira, junho 06, 2006]

Imaginem só....

.... esses gatos malhados.... gostam tanto de escrever que agora imaginam que .... são.....

a minha andorinha...... outros que são....... eu !!!! Miaaaauuuu!!!!!

Goiabeira, 6 de Outubro de 2006
Meu querido amorzinho,
Naquele dia, tudo aconteceu.
Estava muito triste por ser o ultimo dia da nossa vida juntos, não foi mas é como se fosse, pois eu amava-te acima de tudo!
Queria que tu percebesses que eu te amava, só que não dava para continuarmos juntos, perdoa-me!
Tudo era diferente, tudo era maravilhoso contigo mas… perdoa-me…
A tua sempre amada,
Andorinha Sinhá

Solange Lopes, 8ºD


Escrito por Gato Malhado at 8:50 da tarde |

***

[segunda-feira, junho 05, 2006]

“Gato Feio”


10 de Outubro de 1987
“Gato Feio” És um horror, és feio, és mau! Pensavas que eu não sabia, andavas triste, sem falar com ninguem para terem pena de ti. Mas eu sabia, pois vieste ao pé de mim a dizer que tinhas mudado e que estavas apaixonado, para ver se me davas a volta. Ainda bem que eu não acreditei, pois quando eu menos esperasse já me tinhas dentro do estômago. Nunca te voltes a aproximar de uma andorinha, se não faço-te a folha ... eu e o meu bando!
Ass. Andorinha Sinhá (João Pires, 8ºD)


Escrito por Gato Malhado at 4:54 da tarde |

***

Olá! Sou um gato e habito dentro de um livro. Adoro ler e... namorar. E tu?



Outros dias...


Já arquivei


Powered by Blogger

Amigos na Web


  • A nossa escola
  • CRE Lorosae
  • Escreva-me!
  • BN digital
  • Netescrita
  • Livraria on line
  • Outra Livraria on line
  • Uma sugestão de leitura
  • Literatura brasileira
  • Sítio da Prof. Teresa
  • Arq. Audio da Prof.Teresa
  • Fund. Casa de JORGE AMADO
  • As nossas sugestões de leitura
  • Trabalhos da Prof. Marli, Brasil
  • Radio Web do CAIC M. Costa, Brasil
  • Escrita colaborativa dos amigos do 8ºC
  • Blog@qui - 8º ano (História) - V. do Castelo
  • Dia D - Azeitão
  • Sala 16 - "Está-se bem!" - Azeitão
  • "Sabor Saber"


    Envie-nos uma mensagem ÁUDIO. Obrigado!


    Send Me A Message

    Deixe comentário ou Recado no Mural. Obrigado!




    Contador